Músicas da Festa de Encerramento 2017 – Significâncias da Natureza

Nossa Festa de Encerramento, “Significâncias da Natureza” 2017, celebra um ano de investigações, descobertas e construções de sentido, relações e conhecimentos. Para cadenciar esse processo, Ale Carmani compôs músicas inéditas para que cada grupo pudesse expressar as investigações que permearam este ano. Dessa forma, as crianças irão apresentar cenicamente os contextos e as linguagens expressivas mais relevantes nesse processo.

Lá vêm os bebês  – Berçário

A lupa – Maternal 1.2 e Grupo 1.4

A semente – Maternal 1.1 e Grupo 1.3

Os elementos – Maternal 2.1 e Grupo 1.1

As estações – Maternal 2.2 e Grupo 1.2

É natural – Grupo 2.3 e Grupo 3.3

Na NaTureZa Há – Grupo 2.4 e Grupo 3.4

No céu – Grupo 2.1 e Grupo 4.2

Sons da Natureza – Grupo 2.2 e 3.1

Predadores e presas – Grupo 3.2

Tudo nasce livre – Grupo 4.1

Planetas – Entregrupos Mayara

Entrelaçada – Entregrupos Aline

Sobe desce – Entregrupos Lisiane

Origem – Entregrupos Renata

Mãe Natureza – Coral

Respeito pela natureza – Coral

 

30 anos de Significâncias: em busca de achadouros

Este é o resultado de tardes de conversa e lembrança, em que as colaboradoras que fizeram e ainda fazem a história deste local de feliz educar puderam reviver momentos que marcaram para sempre suas histórias. Mariela Mei

Comemorando o 33º aniversário do Thema no dia 14 de agosto, compartilhamos com as famílias da escola o livro “30 Anos de Significâncias: em busca de achadouros” escrito por Mariela Mei, mãe da escola, que criou histórias baseadas nas experiências compartilhadas pela equipe do Thema por meio da escuta atenta, não apenas às narrativas, mas com o cuidado de representar as emoções. Cada família da escola pode receber um exemplar na portaria da escola.

Duas crianças conversam na sala:

– O amigo do meu pai teve neném!

– O amigo do seu pai? Homem não pode ter neném.

– É claro que homem pode ter neném! Se ele tiver coração no estômago, ele pode!

Confiram na íntegra: Digital 30anos

Músicas – Festa de Encerramento 2016 – Significâncias

Com o projeto “Significâncias”, nos propusemos ao longo desse ano a rever, junto com as crianças, os sentidos das nossas ações e práticas na escola. Assim, resgatamos os repertórios musicais construídos ao longo dos anos no Thema: os grupos revisitaram os CDs/trilhas sonoras da escola e escolheram as músicas que eram mais significativas para eles.

cds

Para que possam vivenciar as músicas, compartilhamos a trilha sonora da Festa de Encerramento 2016:

Berçário – Tudo acontecendo ao mesmo tempo / CD: Tempo

Maternal 1 – Bolinhas de sabão / CD: Por quê?

Maternal 2 – Curioso / CD: Por quê?

Grupos 1.1 e 1.2 (manhã) – Tintim por Tintim / CD: Por quê?

Grupos 1.3 e 1.4 (tarde) – Variantes do tempo / CD: Por quê?

Grupos 2.1 e 2.2 (manhã) – Porque, porque, porque / CD: Por quê?

Grupos 2.3 e 2.4 (tarde) – Bicho solto (Criança é mesmo assim) / CD: Por quê?

Grupo 3.1 – Ponha seu pé para brincar / CD: Territórios da Infância

Grupo 3.2 – Espaço sideral / CD: Por quê?

Grupo 4.1 – Quando para de brincar / CD: Por quê?

Grupo 4.2 – Esconde-esconde / CD: Territórios da Infância

1º Ano – Fotografia / CD: Tempo

2º Ano – Todo mundo gosta de ficar criança / CD: Territórios da Infância

3º Ano – Estudo e Diversão/Criança / CD: Conviver (recriação)

Boa escuta!

Acolhimento

ACOLHIMENTO

“O acolhimento é um método de trabalho complexo, um modo de ser do adulto, uma ideia chave no processo educativo.” Staccioli, 2013, p.25[1]

Um novo semestre se inicia trazendo um horizonte de possibilidades para as crianças – significâncias vêm chegando! Aproveitando o ensejo, desejamos compartilhar com as famílias discussões de longa data sobre o tempo e a escuta dedicados à infância debruçando-nos, agora, no termo “acolhimento”.

Referimo-nos a acolhimento como uma postura de vida, uma competência relacional educativa – não apenas uma atitude voltada aos primeiros dias da vida escolar de uma criança ou aos primeiros momentos de uma rotina diária escolar, mas uma atitude de disponibilidade para encontrar-se com o outro – trata-se do desejo de sustentar uma sensibilidade aberta a uma relação educativa.

Convidamos os adultos enquanto educadores, sejam professores ou familiares, a criarem um espaço interno rico de desejo para conhecer a criança. Acolher não se trata de aceitar passivamente casualidades, implica um fazer motivado para a criança – uma escuta ativa e atenta de busca por reconhecer e valorizar suas ideias, implica inclusive controlar e verificar hipóteses que construímos a respeito delas.

Pensar em acolhimento enquanto uma abordagem pedagógica de vida exige previsão, organização, ação e verificação. Para acolher, é necessário preparar o ambiente/espaço para esperar e receber, pensar nos materiais e objetos que atendem responsivamente os interesses e necessidades do outro, planejar e projetar oportunidades de diálogo – gerenciar a escuta das crianças considerando que possuem uma cultura tão própria como se pertencessem a uma tribo ou etnia diferente.

“Escutar é uma atitude que requer coragem de se entregar à convicção de que o nosso ser é só uma pequena parte de um conhecimento mais amplo; escutar é uma metáfora para estar aberto aos outros, ter sensibilidade para ouvir e ser ouvido em todos os sentidos. (…) Escutar é dar a si próprio e aos outros um tempo para ouvir.” Rinaldi, 2012, p.208-209[2]

Para o adulto ser acolhedor é imprescindível que ele potencialize sua capacidade de saber ver, ver aquilo que há de valor na criança e nas suas vivências, reconhecer o que pode ser encorajado, ver em si mesmo também o que há de mais autêntico e divergente a ser oferecido na construção de uma nova relação que inspire segurança e empatia.

Vamos exercitar o prazer de acolher as crianças, de estar bem diante do encontro com as diferenças que elas nos proporcionam, pensando-as, aprendendo-as e escutando-as como elementos de aproximação?!

[1] Staccioli, Gianfranco. Diário do acolhimento na escola da infância. Campinas: Autores Associados, 2013.

[2] Rinaldi, Carla. Criatividade como qualidade do pensamento, p. 203-217. In: Diálogos com Reggio Emilia: escutar, investigar e aprender. São Paulo: Paz e Terra, 2012.

COMEMORAÇÃO DOS ANIVERSÁRIOS DE JANEIRO E FEVEREIRO EM 26/02

bolo aniversárioA comemoração dos aniversários também está sendo ressignificada com o tema do nosso projeto anual de forma que as crianças terão maior envolvimento com os preparativos para este momento, confeitando o bolo, organizando e decorando o espaço e preparando algo especialmente para os aniversariantes conforme escolhas deles.

O processo todo continua com o olhar voltado para os significados e as simplicidades da infância, destacando os valores de amizade e de convívio.

As datas para as comemorações estão indicadas em nosso calendário anual. Neste dia, os pais (do Maternal ao Fundamental) são convidados para o momento dos parabéns que acontece na hora do lanche: às 9h (pedagógico manhã) ou às 15h (pedagógico tarde).  

No BERÇÁRIO, a comemoração acontecerá no mesmo dia, entretanto, apenas entre as crianças. O bolo do berçário é feito com uma receita desenvolvida especialmente para os bebês.

Pedimos aos familiares que não enviem doces, lembrancinhas, convites ou presentes!

No dia 26 de fevereiro, sexta-feira, faremos a comemoração dos aniversariantes de JANEIRO e FEVEREIRO, confiram:

ANIVERSARIOS